sábado, 6 de abril de 2013

ANÁLISE DO FILME “V” DE VINGANÇA


Sinopse do filme
      “V de Vingança” se desenvolve numa Inglaterra futura, no século XXI. Retrata a história de uma jovem que, depois de contrariar o toque de recolher determinado pelo Estado, se encrenca com os Homens Dedo, uma forma de braço policial auxiliar estatal, mas é salva por um misterioso mascarado de codinome “V”, que depois a acolhe e lhe revela alguns de seus planos para derrubar o opressor governo e devolver ao povo a liberdade e a capacidade de questionar algumas ações de quem deveria representá-los e não reprimi-los. 
        Ao tentar vasculhar a história de V, a jovem acaba descobrindo a verdade sobre quem ela é realmente e, termina se aliando nessa conspiração contra o parlamento inglês. O maior plano de V começava no dia 5 de novembro. Esse plano se baseava numa história de um homem que tentou explodir o prédio do Parlamento como forma de repreensão ao governo tirânico, falhou e terminou sendo enforcado. 
       V pensava que explodindo o prédio do Parlamento poderia mudar o mundo. Tendo semelhanças aos campos de concentração nazista, V passou maior parte de sua vida num laboratório do governo, onde eram feitas experiências com pessoas consideradas bastardas ou degeneradas, ateus e homossexuais, para a criação de uma arma biológica. A razão no qual V usava uma máscara era porque seu rosto e corpo estavam desfigurados por tais experiências. Uma das cenas mais surpreendentes do filme foi a da marcha de várias pessoas mascaradas como V, a marcha dos Vs. V tinha se tornado um herói para elas.



ASPECTOS SOCIOLÓGICOS DO FILME
        V organizava diversas ações terroristas com o objetivo de chamar a atenção do povo em relação ao governo cruel e corrupto que os liderava. Um governo que prendia, torturava e eliminava negros, homossexuais; manipulavam o povo por meio da mídia e da alienação televisiva, numa tentativa de promover uma limpeza étnica e social.  Prothero era um apresentador de TV, conhecido como a “Voz de Londres”, responsável por discursos de propaganda do governo para fazer um tipo de lavagem cerebral
na população.
O governo tinha várias semelhanças com um tipo de regime totalitário, o Nazismo.   
       A história abordada no filme mostra às novas gerações, que os erros cometidos em um passado próximo continuam possíveis de ocorrer.  Isso funciona como alerta contra posições não satisfatórias, contra soluções para problemas que merecem uma melhor reflexão. O filme remete o  fato  de que  por  meio  da  censura, não expressam os pensamentos e não manifestamos anseio por liberdade, deixando que manipulem-nos, até no modo de agir, sempre seguindo à risca regras, informações falsas que devem ser obedecidas e aceitas como verdade sem direito de qualquer questionamento contrário.
Análise Psico-Filosófica 
As Teorias que serão apresentadas a seguir para explicar com mais detalhes o filme serão: partes da teoria da inteligência multifocal, Minhas próprias teorias sobre  controle totalitário e alienação e um pouco das minhas próprias concepções filosóficas e poéticas. Espero que lhes seja de bom proveito.
O filme inicia-se com cenas de um homem chamado Guy Fawkes e seu ataque que fracassou no dia 5 de novembro, nele é narrado estas palavras:

"Lembrai, lembrai, do dia 5 de novembro
A traição de pólvora e enredo 
Não sei de nenhuma razão para que a traição da pólvora
 Nunca deve ser esquecido. "

Esse trecho é parte de uma música de John Lennon em homenagem a esse dia marcante. Mas o que é muito comum a se perguntar é "O que foi e qual o sgnificado deste dia?". É uma pergunta muito freguente, por tanto  mostrarei um resumo do que foi este dia.

Retrato de
Guy Fawkes
Era em 5 de novembro de 1605 que a Conspiração da Pólvora devia ter dado certo. Não deu, mas foi o começo de uma linha nova de pensamento mencionada na música “Remember”, de John Lennon, e em “V de Vingança”, quadrinho de Alan Moore e David Lloyd e filme de James McTeigue. Não sabe do que se trata?
Um grupo de católicos ingleses queria assassinar o rei Jaime I e grande parte da aristocracia protestante. Afinal, as pessoas de diferentes religiões estavam sendo tratadas de forma diferente pelo Estado e a gota d’água, que deu início aos planos, foi quando a Princesa Elizabeth, de 9 anos, foi declarada chefe de estado.
O plano era, além de sequestrar uma criança da realeza e incitar uma revolta, explodir o parlamento do país numa sessão no qual todos esses fidalgos estariam presentes. Foram estocados 36 barris de pólvora sob o prédio e o responsável pela detonação de tudo seria um cara chamado Guy Fawkes.
O grande problema dos católicos até hoje, sabemos, é a culpa. E, com medo de matarem inocentes – mesmo que por uma causa maior – o grupo de revoltosos enviou avisos para que certas pessoas mantivessem distância do lugar no dia da explosão. Um aviso chegou ao ouvido do rei e Fawkes foi preso, torturado e condenado à forca por traição e tentativa de assassinato.
O ato hoje é considerado heróico e lembrado com fogos de artifício na Inglaterra. Sem contar a tradicional rima criada e que chegou ao resto do mundo com a música, HQ e filme que fazem referência aos fatos
A data, aqui no Brasil, nem é tão lembrada, mas as ideias – especialmente agora, que temos um novo governo – precisam ser revistas para mantermos em mente que o poder é do povo. O dia 5 de novembro, pra gente, é dia de rever “V de Vingança”. No mínimo.

Mas o por que de Alan Moore escolheu este dia para representar o ideais de V, é pelo fato de que Guy Fowkes foi quem deu início ao princípio de revolução e luta pela liberdade e igualdade. Sua tentativa de Explodir o Parlamento gerou uma forte influência que iria servir como chave para a Vingança do personagem V. Tendo em vista que tanto Guy Fowkes quanto V, sofreram represárias severas de seus governos, e os dois de forma alguma aceitaram tal condição.
Após as cenas de Fowkes a historia começa com V e Evey se arrumando em seus quartos enquanto houvem um dos meios de comunicação mais influentes ( se não o mais influente) de todas, a TV. Representada pela imagem de um apresentador agressivo.
Essa cena logo de ínicio demonstra o controle e alienação que a TV pode exercer sobre a população. Pense bem, quantas coisas você já viu a televisão mudar em relação ao comportamento das pessoas? Existem alguns se são tão alienados que dizem até mesmo "Boa Noite" quando os apresentadores de um jornal o dizem. Outros seguem um comportamento só por que foi a televisão que disse que era correto. Atente-se ao que vê na televisão e perceba o que pode te levar as ruínas da enganação, pois é isso que eles tem em mente: Te Controlar.
Cenas depois a Personagem Evey anda pelas ruas e depara-se com três homens que aparentemente parecem ladrões, mas para o espanto são homens da "lei"  de um governo recém fundado por um Auto-Chanceler.
Tal cena mostra o poder da lei e do julgamento dado a homens que não a merecem, um fato que realmente ocorre em nossa realidade, você não acha?
  Em alguns instantes aparece o personagem V que se apresenta não com um nome, mas como um sentimento de vingança em andamento de sua conquista maior. Isso claro depois de ele surrar os homens da "lei".
Minutos depois é dado o início do primeiro ato que iniciará sua revolução. Ele leva Evey para ouvir uma canção em nome da justiça destruindo um símbolo que representará esta mesma palavra. Um símbolo feito em nome da justiça é destruída por V pelo fato de que ela perdeu seu valor quando fora suja pelo  governo que tirou seu sentido.
 Assim sendo V não encontra mais sentido nela e a destrói para mostra a seu país que a verdadeira justiça esta por vir. Nesse momento é vislumbrada a ideia de que muitos símbolos em forma de esculturas, ou de monumentos são erguidos com um propósito: para lembrarmos dos sentimentos e idéias de tempos passados, mas ao longo da nossa história vemos que estes símbolos são destruídos e assassinados pois deixamos de lado seu significado e damos vida as injustiças, que nos envergonham e que muitas vezes tem a ajuda da MENTIRA para que nossas idéias ruins venham a tona.
Após a ação de V é mostrado o Auto-chanceler Santler, que mostra todo seu poder sobre todas as midías de seu país, sobre o poder da lei, sobre o exército, a politica e todo e qualquer meio de influência. Ele lembra muito a imagem de Hitler quando criou sua sociedade nazista com o controle total sobre sua população, não os permitindo dar um passo sequer sem ter sua influência sobre suas mentes. E somente Ditadores e tiranos são capazes de escravizar seres que deveriam ser livres.
Depois é iniciada a cena da segunda ação de V, que é um ataque a emissora de televisão que tem como objetivo mostrar a sua população conformada e alienada que existe uma verdade no qual o governo vem lhes escondendo e que eles devem lutar unindo-se ao V para enxergá-la, e assim dar fim ao controle exercido por seus governantes. Quantas vezes já não vimos determinados atentados televisivos tentando nos mostrar a verdade? se você puxar bem pela memória vai saber que tais atitudes já foram exercidas.
Alguns instantes após o pronunciamento de V e as cenas de ação onde ele derrota os policiais e seguranças da emissora, ele leva a personagem  Evey para seu esconderijo  onde na manhã seguinte eles tem uma conversa no café da manhã. Nesta conversa são proferidas frases  nas quais serão necessárias serem analisadas aqui. Como:

 "O povo não deve ter medo de seu governo, o governo é que deve ter medo de seu povo."

V nos da a entender que não é o governo que deveria nos comandar como bonecos ou máquinas que não contestam ou não duvidam e nem criticam nada. Nós, o povo, é que deveríamos exercer nossa força de comando sobre os governantes, pois fomos nós que os botamos onde hoje se encontram, portanto, temos todo o direito de comandar, mudar, e melhorar nossas leis e direitos. Alguém que aceita as leis e não critica seu governo esta cego para a realidade da sociedade e surdo para as verdades da vida.

"Um símbolo tem poder, assim como o ato de destruir.
Pessoas dão poder ao símbolo, um simbolo sozinho não significa nada,
mas com bastante gente, destruir pode mudar o mundo."

Nesse trecho podemos acender a ideia de que monumentos, determinadas pessoa, locais, objetos podem  não ter significado algum quando não  tem ninguém para valoriza-los, entretanto, quando as pessoas começam a vê-lo e a crer neles de outra maneira, eles ganham poder, e destruí-lo pode modificar o curso da história humana. Assim como foi no dia em que destruíram as torres gêmeas  quando assassinaram o presidente Lincol ou quando derrubaram a sociedade Nazista. Pensemos por um segundo: Quais símbolos foram derrubados e que mudaram a história? e com que propósito?
Mais tarde V encontra-se com o homem que representa a Mídia Televisiva, O comandante Prothero ( A voz de Londres) O personagem V deixa explicito que exite uma história por de trás da história, e que o ato de dar fim a vida desse apresentador seria um dos meios para que a realidade viesse a tona.
Cenas depois Evey vai até V para conversar onde ela diz uma frase interessante que fora dita pelo seu pais escritor:

"Artistas usam a mentiras para falar a verdade e políticos mentiras para encobrir a verdade"

Tal frase possuí um poder incrível, pois, eu como artista, entendo que nós usávamos muitas vezes um pouco da mentira para demonstrar a verdade através de nossas musicas, pinturas, esculturas, atuações e ações para revelarmos a verdade contida no mundo, que fora apagada  pelo egoísmo e pelo desejo neurótico de controle

Na conversa, Evey pede a V que se ela pude-se ajuda-lo a mudar o mundo ela queria ajuda-lo, e fala uma frase onde diz que queria ser mais forte e não queria ter mais medo de nada, um fato que servirá para explicar melhor uma das cenas mais marcantes do filme.
Depois, Evey encontra uma frase do personagem Fausto da peça chamada The Tragical History of Doctor Faustus, e essa frase foi descrita pelo escritor, filósofo, cientista Tiago Ramos Magno. Ela encontra-se no espelho de V escrita em latim desta maneira:

"Vi veri veniversum vivus vici"
Tradução: "Pelo poder da verdade, enquanto vivo, eu conquistei o universo"

Uma frase magnifica que nos instiga a compreender que nada é tão poderoso quanto o poder da verdade. Quantas vezes você conquistou pessoas por ter falado a verdade? quantas vezes a melhor escolha que poderia ter  tido foi falar a verdade? mesmo que por algumas vezes ou por alguns momentos ela tenha parecida um erro, nada é tão forte quando a verdade, contanto, que ela seja dita da maneira correta. Nada é tão poderoso para conquistar o universo de uma pessoa, quanto a singeleza da sinceridade em nome da verdade e da liberdade do afeto e do amor pela vida.









Na cena seguinte V convida  Evey para fazer parte de seu próximo movimento em nome da justiça. Ele agora atacará um membro da igreja que também fora um dos seus algozes. O objetivo dele é matar o bispo e destruir a farsa da religião, aniquilando sua influência de alienação e controle utilizando a Falsa Crença. A partir daqui descreverei o que é a Falsa Crença.
Nada pode controlar tanto um ser humano quanto as Crenças Falsas. elas se traduzem das mais diversas maneiras: Dogmas religiosos, crendices, superstições  preconceitos, paradigmas científicos, verdades irreais  Todos nós temos uma falsa crença, até mesmo os mais racionais. Não imposta, se é professor ou aluno, culto ou iletrado, todos somos tolidos de algum modo por tais crenças, pois elas nos provocam uma euforia desproporcional. No campo dos temores, crenças geram medo de conquistar, debater, sonhar, de escrever, de ousar, de caminhar, de produzir. No campo da euforia, crenças geram delírios de grandeza, necessidade doentia de poder, necessidade neurótica de estar sempre certo, orgulho, egocentrismo, auto-suficiência
"Quem não critica aquilo que crê, não lapidará suas crenças,
Quem não lapida suas crenças será servos de suas verdades.
E se suas verdades forem doentias,
Certamente você será doente"
(Augusto Cury)

Compreendendo o caos que as crenças falsas podem exercer, V vai ao encontro do bispo para destruir tal ideia de controle através da religião. Entretanto, a personagem Evey o trai, escapando do personagem e indo a encontro de um amigo que também trabalha com emissora de TV.

Momentos depois V vai ao encontro de seu ultimo alvo, uma mulher que trabalha na pericia de crimes e que antes trabalhava com botânica e desenvolveu uma arma biológica, que depois seria usada em um golpe de estado para acensão ao poder de um candidato a Presidente. V a mata da maneira mais singela que poderia, sem dor. Ela pergunta se tudo não é uma coincidência e V diz:
“Não existem coincidências, Délia. Apenas a ilusão de coincidência.” 
Reflita sobre esta frase de V, e diga se ela se faz verdadeira.
E se chegar a uma conclusão semelhante a minha, então fará das palavras de V as nossas:

“Eu, assim como Deus, não jogo dados e não acredito em coincidência.”

A cena em questão relata um fato interessante, mostrando que as armas mais poderosas não são as nucleares, mas as biológicas, pois ferem, machucam, matam e ainda por cima mantem a integridade daqueles que a usaram. Assim sendo, nosso futuro como humanidade pode ser destruído  não somente pelo fogo das armas nucleares  mas também pelo sangue que percorre por nossas veias. Relato que demonstra a proporção dessa realidade são as cenas seguintes onde é mostrado o que ocorreu no dia 5 de novembro em Londres, onde mais de 80.000 jovens foram mortos por uma  epidemia sem explicação.
Nas cenas posteriores vemos o amigo apresentador de televisão de Evey dando um ar de sua graça e comédia em um dos seus programas, onde ele faz uma sátira criticando o governo, seu governante, suas mentiras e controle totalitário. Por fim, este personagem é alvo de uma severa represaria do mesmo governo e morto pelo personagem comandante do exército local Creedy. Essas cenas nos fazem relembrar quantas e quantas vezes pessoas, organizações ou grupos tentaram revelar as verdades em um meio de comunicação de alguma forma, seja satirizada ou não, e foram condenadas pelos seus atos. Os governos realmente querem isso, nos contrair diante das verdades e calar nossas bocas e consciências em meio ao caos que os homens do governo produzem.
Enquanto Gordon era preso, Evey foi capturada por alguém que aparentemente era um dos soldados de Creedy, mas posteriormente vemos que é o próprio V. Ele a leva de volta para sua casa e a coloca em uma prisão, fazendo-a sofrer tudo o que ele sofreu, passando pelo que ele passou, comendo  o que ele comeu, e principalmente, sentindo o que ele sentiu.
Ela encontra um papel de uma auto-biografia da personagem Valery que era uma das cobaias dos experimentos da Doutora em busca da arma e da cura do armamento biológico que foi a intercessora dos ideais de V.
 Ela relata em sua biográfica como foi sua vida, e que sua maior dificuldade foi a não aceitação e preconceito da família e da sociedade em relação a sua opção sexual, já que ela era lésbica. Ela mostra que sua família a recusou, e que sua sociedade a condenou. Essas cenas lembram muito as atitudes que Hitler teve em relação a judeus e homo-sexuais, onde suas condenações eram a morte. No fim de sua história, ela deixa uma ideia linda para V, Evey e a nós que assistimos ao filme:

"Nossa integridade é vendida por tão pouco,
  Porém, ela é tudo que temos,
  Ela é nosso ultimo pedacinho ,
Mas nele somos livres.

Cada pedacinho de mim vai morrer.
Mas nossa integridade, mesmo sendo tão pequena e frágil,
  Não podemos perde-la nunca."
Esse trecho é um dos mais belos, pois nos diz que no mundo de fora, podemos realmente não sermos livres por completo, mas no mundo em que somos por dentro, devemos ser totalmente livres, para escolher, decidir, lutar, amar. Mas que para conquistarmos essa liberdade precisamos acima de tudo, manter nossa integridade. Somente ela nos mantem humanos, ela sustenta nossos sonhos, nossas vontades e nossa coragem. Perde-la ou vende-la, é dar fim aos nossos sonhos de vida, e uma vida sem sonhos é uma emoção sem aventura.
O propósito de V era fazer com que Evey se torna-se o que ela queria, um alguém mais forte e sem medo. E para isso era necessário faze-la passar tudo aquilo, sentir na pele o que aqueles homens e mulheres passaram, para que ela fosse livre dentro de sí e assim não dando a perder sua integridade e coragem. O que ela sentiu, não foi só ódio, mas a vontade de vingança pela liberdade e justiça a humanidade. E acredite, que se todos quisermos ser fortes e ter coragem para concretizar nossos maiores sonhos, devemos  manter nossa integridade para sustentar nossas vontades, para assim, não termos medo do que poderemos sofrer amanhã, pois a ideia dos nossos sonhos esta acima de qualquer sofrimento e dor.
Aproximando-se do final, O Auto-Chanceler tenta fazer um ultimo pronunciamento para evitar que V tenha a força da população ao seu dispor, assim não deixando acontecer a dominação do povo sobre seu governo. Mas antes do dia 5 de novembro, sobre o disfarce de Willyan Hockwood, 
V se apresenta ao Inspetor Chefe Finch, para lhe contar a verdadeira história por de trás da história. Revelando a ele que o governo do auto-Chanceler Santler deu um golpe na nação, dando-lhes humana doença, uma epidemia que na verdade fora criada como arma biológica, onde centenas de homens e mulheres foram mortos para terminar o projeto que era chamado de "A Esperança da Nação."
Esse projeto visava matar centenas de jovens com sua falsa epidemia, dando ao futuro governador uma cartada que o levaria ao triunfo, que seria a cura da mesma arma que ele criou, fazendo assim a a população acreditar que ele fora a salvação daquele país, dando a ele o poder  total sobre sua nação.
Depois são mostradas cenas de como a população de Londres  está ao lado de V, e que eles adotaram a anarquia como principalmente de poder em nome da justiça, assim nos mostrando como o povo pode exercer um poder sem igual quando todos se unem sobre apenas um propósito. Ideia que se simplifica melhor na frase dita por V em sua ultima dança com Evey:

"Esconda-me e seja meu ajudante, pois este disfarce por acaso, tomará forma de meu propósito."


Antes de partir para sua ultima luta, V da um presente a Evey, uma decisão muito sabia. V percebeu que ele não tinha direito de puxar alavanca que destruiria o parlamento e que assim mudaria a história, pois ele fora um monstro criado pelo mundo de monstros, e que se ele vive-se, esse novo mundo não lhe pertenceria, mas sim as pessoas que sonham com um mundo melhor. Por tanto Evey teria que decidir puxar a alavanca.

Após essas falas, V parte para o emocionante e incrível ultimo confronto, onde ele encontra seu criador, e luta contra as forças de Creedy, e os mata. Mas antes da Morte de Creedy, ele pergunta por que V  não morre, e sabiamente V lhe diz:

"Debaixo desta máscara há mais do que carne.
  Debaixo desta máscara há uma ideia, Sr. Creedy.
E idéias são à prova de balas.”

Apenas posso lhes dizer que, não deixem seus ideais morrerem por quais quer que sejam as armas ou dores, pois elas são eternas na mente daqueles que viveram delas.
Quando V retorna, morre nos braços de Evey e ela esta prestes a puxar a alavanca e o inspetor chefe chega e lhe diz para parar, e é quando ela lhe fala:
"O mundo não precisa de um prédio, mas de esperança."
." Ela finalmente puxa a alavanca e o parlamento explode em fogos de artifício formando um V. E é nesse momento em que o filme termina com o Inspetor Finch perguntando a ela: " Quem ele era?"
E Evey com sabedoria e destreza, lhe responde:
 “Ele era Edmond Dantes, e ele era meu pai e minha mãe. Meu irmão, meu amigo. Ele era você e eu. Ele era todos nós! Ninguém jamais esquecerá aquela noite e o que aquilo significou para este país, mas eu nunca esquecerei o homem e o que ele significou para mim."

Ela deixa claro que V era todos nós, pois todos temos uma esperança pulsando dentro de nós de dias melhores, mais justos e mais verdadeiros. V significou o sonho de esperança e justiça que está cravado em nossas mentes, ideias, almas e corações.
O futuro da humanidade esta nas mãos da vontade, na coragem e nos sonhos de justiça, verdade, amor e liberdade da própria humanidade. E se quisermos mudar este mundo, devemos acima de tudo, não deixar nossas ideias morrerem, pois elas são a chave que mudará o rumo e o percurso da nossa história em busca da liberdade e felicidade. 
 Curiosidade sobre o filme:
Muitos assistem V de Vingança ficam com uma enorme curiosidade para saber quem é o ator por de  trás da mascara de Guy Fawkes. E um dia eu estava no facebook e vi uma imagem do ator Hugo Weaving, e pra minha surpresa foi ele quem interpretou "V".
Entre os personagens dele está o famoso Smith de MATRIX, Caveira Vermelha de Capitão América, V, e Eronld de Senhor dos Anéis.


Link Para Download do filme dublado: http://depositfiles.org/files/fbcig27aa
Link para assistir online: https://www.youtube.com/watch?v=sDRhpKZ0ou4

34 comentários:

  1. Muito boa a analise,

    Mas o que me chamou a atenção foi os trabalhos do ator pois é muito duvidoso, me leva a pensar em ocultismo ou seguimento de ideia meio que maliciosas, melhor respondendo: Mensagem Subliminar. Estranho muito estranho.

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Mt boa essas informações, ajudo bastante, Vlw :D

    ResponderExcluir
  3. sabias palavras, ótimo blog, parabéns

    ResponderExcluir
  4. As informações sobre o filme me fizeram entende-lo.

    ResponderExcluir
  5. Assisti o filme na aula de ética e cidadania. Me apaixonei :) Remenber, remember the 5 november!!

    ResponderExcluir
  6. O melhor blog que já tive o prazer de ler.
    Meus parabéns, muito bom!

    ResponderExcluir
  7. Parabéns pelas informações e pelo Blog. EXCELENTE!!

    ResponderExcluir
  8. Parabéns pelas informações e pelo Blog. EXCELENTE!!

    ResponderExcluir
  9. Muito boa análise, parabéns ficou ótima.

    ResponderExcluir
  10. Aconselho que para referencia, quem queira realmente entender o filme, leia a série em quadrinhos no qual o filme se baseia.

    ResponderExcluir
  11. Explendoroso cara esse filme o quadrinho eles mostram tudo falam o que o povo deveria saber

    ResponderExcluir
  12. Explendoroso cara esse filme o quadrinho eles mostram tudo falam o que o povo deveria saber

    ResponderExcluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. alguém poderia mim informa qual é o enredo do filme?
    agradeço desde de ja

    ResponderExcluir
  15. veja o filme aqui
    https://www.youtube.com/watch?v=0VYgcMQjf1A&feature=youtu.be

    ResponderExcluir
  16. Amei o blog! Ele me esclareceu,algumas dúvidas sobre o filme! Parabéns!

    ResponderExcluir
  17. Bravo! Bravo!
    Esta foi a primeira postagem que li, mas agora serei leitora assídua!

    ResponderExcluir
  18. Adorei a análise, muito certeira, correta e esclarecedora. Parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
  19. desculpe pela ignorância , mas ainda não conseguir entender oq o v é. .. aparentemente parece anarquista mas alguns blogs dizem q não ou que apenas é um liberal...

    ResponderExcluir
  20. Excelente ! Amei ! Na minha opinião , todos deveriam assistir esse filme e depois ler esta analise ... Obrigada :)

    ResponderExcluir
  21. Excelente ! Amei ! Na minha opinião , todos deveriam assistir esse filme e depois ler esta analise ... Obrigada :)

    ResponderExcluir
  22. V é dos melhores filmes contestadores que existem !!! Mostra que a escravidão está além da senzala. Todos somos escravos e uma maneira do governos nos manter escravos é através dos impostos abusivos. Se um dia fosse politico, minha plataforma será: Por um governo que não atrapalha o país!!!

    ResponderExcluir
  23. Sua forma de escrever e análise do filme foram ótimos, excelente trabalho!

    ResponderExcluir

  24. Existe alguma referência ao Brasil no filme? Olhando as análises desse filme em outro site, havia essa pergunta. Eu particularmente não consegui encontrar nenhuma.

    ResponderExcluir
  25. adorei o blog
    me mandar as novidades no meu email

    ResponderExcluir